Simplicidade na Oração


Hoje queria refletir sobre a oração, pois Jesus nos disse:
“Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força de palavras.” (Mt 6,7)
Nesta passagem Jesus nos ensina que não somos ouvidos por Deus pela força de nossas palavras, mas pela sinceridade do nosso coração.
Hoje os nossos grupos de oração, de reflexão, de catequeses e pastorais têm verdadeiros especialistas em fazer orações com palavras de grandes significados, uma oração de alto teor intelectual e teológico.
Às vezes fico percebendo a forma com que algumas pessoas conduzem oração, vejo que tentam usar de uma técnica usada para convencer algum individuo, a retórica. O homem tenta fazer com Deus aquilo que faz com outros homens, tentando persuadir a Deus por meio de palavras. O homem com as técnicas da oratória julga que também pode enganar a Deus com sua habilidade nas palavras. Veja o quanto nós, seres humanos, somos ignorantes nas coisas de Deus!
Pois não há palavra alguma que saia da nossa boca que possa enganar a Deus. Pois Deus, antes mesmo de nossas palavras, conhece o nosso coração. Deus sabe da miséria que somos interiormente e nada de bonito que falarmos vai conseguir “maquiar” o que realmente somos por dentro.
Por isto Jesus nos ensina que devemos ser simples, pois assim não estaremos tentando enganar a Deus, mascarando nosso coração por meio de palavras bonitas.
Não digo que palavras “bonitas” são proibidas. Digo que são proibidas quando usadas por vaidade ou para mascarar algo que somos. Muitas vezes usamos estas palavras, mas a nossa oração fica na superficialidade, porque não há a sintonia com o nosso interior. Pois aquilo que se fala não é aquilo que está dentro do coração. Portanto, muitas vezes nossas orações são mal feitas. Também não estou dizendo que devemos usar de palavras irreverentes para com Deus. Nossa oração é um dialogo amigável com Deus, não é um discurso, mas também não é qualquer “papinho”.
Nas nossas orações devemos nos portar como filhos, obedientes, humildes e amados por Deus. Não estamos falando com qualquer um, mas com Aquele que nos amou, acolheu como filhos e nos salvou.
Portanto amigos, evitemos a multiplicação das palavras na nossa oração. Não é assim que vamos conseguir conversar com Deus. Basta silenciarmos e deixarmos brotar de dentro do coração as palavras que convém dizer. As palavras que o próprio Espírito Santo nos ensina.



Matheus Barbosa

1 Comment:

O Tradicionalista disse...

Oi Matheus, belo blog o seu!

Eu só vi o seu comentário agora, estava cansativo mesmo blog em preto...obrigado pela dica...

Viu, voce sabe como trocar o template?

Salve Maria!

Postar um comentário

Comente esta postagem. Deixe sua opinião. Contribua!

Seguidores

 
^ Voltar ao Topo